Conhecer o Douro não é apenas visitar a região, é partir numa viagem à descoberta de um lugar único, com uma história, cultura e pessoas únicas.

Existem várias explicações para a origem do nome «Douro». Uma lenda conta que era costume ver-se rolar umas pedritas pequenas e brilhantes, que se veio a descobrir serem de ouro. Há quem diga ainda que o nome se deve à cor barrenta das águas do rio, consequência das grandes quantidades de detritos que as enxurradas arrastavam encostas abaixo e que por serem de um amarelo vivo lhe davam uma cor de ouro. Mas há ainda quem defenda que este nome deriva do latim «Durius», ou seja, «Duro», devido à dureza dos seus contornos tortuosos de escarpas altas e rochosas.

O rio Douro (em espanhol: Duero) é um rio que nasce em Espanha na província de Sória, nos picos da Serra de Urbião, a 2080 metros de altitude e atravessa o norte de Portugal. A foz do Douro é junto às cidades do Porto e Vila Nova de Gaia. Tem 897 km de comprimento e é o terceiro rio mais extenso da península Ibérica.

Foi este rio, em tempos muito estreito e perigoso, que trouxe prosperidade à região, visto que era através dele que se fazia o transporte do precioso néctar, o Vinho do Porto. Em séculos passados este rio representava um desafio e um perigo para os que nele navegavam. Estava repleto de fortíssimas correntes e pedras meias submersas. Nessa altura apenas um pequeno barco de madeira – o Rabelo – conseguia navegar nestas águas e fazer o transporte do vinho desde o Vale do Douro até à foz, em cujas margens se situam as cidades do Porto e Vila Nova de Gaia.

A Região Vinhateira do Alto Douro ou Alto Douro Vinhateiro, a mais antiga região demarcada de vinho do mundo abrange uma área de cerca de 250 mil hectares, embora apenas cerca de 45 mil estejam plantados com vinha e é também uma paisagem de rara beleza e de uma importância histórica indiscutível. Como tal, foi considerada pela UNESCO como Património da Humanidade a 14 de Dezembro de 2001.

Esta região, que é banhada pelo Rio Douro e faz parte do chamado Douro Vinhateiro, produz vinho há mais de 2000 anos, entre os quais, o mundialmente célebre vinho do Porto e cuja paisagem, para além ser de uma obra de arte da natureza, é também o resultado do trabalho árduo do Homem.

Em 1756, foi criada a Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, pelo Marquês de Pombal, e aquela que viria a ser a primeira região vinícola demarcada do mundo, o Douro.

O Vinho do Porto é um vinho fortificado, produzido exclusivamente com uvas provenientes da Região Demarcada do Douro, em que o processo da fermentação é parado antes de estar completo, através da adição de aguardente vínica (com cerca de 77º de álcool), o que lhe confere uma doçura natural, visto que o açúcar das uvas não se transformou totalmente em álcool. O que distingue as três categorias de Vinho Porto não é a proveniência das uvas, embora a sua qualidade também seja um fator relevante, mas a forma como o vinho é envelhecido.